Em formação

Como apoiar emocionalmente seu filho na escola

Como apoiar emocionalmente seu filho na escola


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Os alunos do ensino fundamental têm muitas atividades na sala de aula: eles precisam aprender coisas novas rapidamente, navegar por relações sociais complexas e ser mais independentes e responsáveis. As crianças também aprendem tudo sobre seus pontos fortes e suas deficiências. Aquilo é um muitos apoiar emocionalmente, especialmente para esses jovens!

Veja o que você pode fazer para ajudar seu filho a desenvolver a resiliência de que precisa para promover o amor pelo aprendizado - na escola e fora dela.

Se envolver

Seja ativo na educação de seu filho.Conheça os professores e funcionários da escola do seu filho - eles sabem o que está indo bem para o seu filho e o que é difícil. Se você tiver tempo, seja voluntário na classe, envolva-se na organização de pais e professores ou faça viagens de campo como monitores.

Seja encorajador

Dê elogios significativos. Ver seu rosto se iluminar quando seu filho cria algo ou tenta uma nova atividade é um incentivo maravilhoso. Mas tente não exagerar sobre o quão talentoso ou inteligente ele é, ou se concentrar muito no resultado final. Em vez disso, dê um elogio que reconheça o esforço: "Você colocou tantos detalhes em seu desenho!" Fique curioso sobre o processo para mostrar que você aprecia o trabalho. Faça perguntas como "Como você escolheu as cores?" ou "Foi difícil fazer as peças ficarem juntas?"

Tenha fé. Entenda que seu filho está dando o melhor de si. Ele quer aprender, mas nem sempre é fácil. Se seu filho está tendo dificuldades e você acha que o problema pode ser social ou emocional, converse com o professor sobre o que está acontecendo e descubra maneiras de encorajar seu filho.

Não repreenda seu filho dizendo coisas como: "Você não deve estar trabalhando duro o suficiente!" Julgamentos como esse desencadeiam sentimentos de vergonha, que podem causar danos psicológicos duradouros.

Faça (e divirta) perguntas

Pergunte sobre o dia do seu filho. Ao relembrar e compartilhar o que aprendeu na escola, ela reforçará seus conhecimentos, praticará habilidades de conversação e aumentará sua confiança e autoestima. Faça perguntas específicas para ter uma ideia de como seu filho está se saindo na escola. Em vez de perguntar: "Como foi a escola hoje?" tente perguntas específicas como: "Com quem você se sentou no almoço?" ou "Qual foi a coisa mais difícil para você hoje?"

Bem-vinda curiosidade. Você pode estar cansado de responder constantemente a perguntas como: "O que as aranhas comem?" ou "Que cor você obtém se misturar verde e roxo?" Mas responder à curiosidade natural de seu filho o incentiva a buscar respostas enquanto persegue seus interesses ao longo da vida.

Promova resiliência

Fale sobre sentimentos.Incentive seu filho a falar sobre seus medos na escola, para que você possa aliviar suas preocupações. Muitos alunos do ensino fundamental ficam ansiosos com testes, notas, conversas em sala de aula ou situações sociais. A ansiedade pode desencadear sintomas físicos, como dores de estômago e de cabeça, e pode piorar com o tempo se não for tratada.

Se a ansiedade de seu filho persistir ou se interferir com a capacidade de funcionar em casa ou na escola, converse com o médico de seu filho ou com um conselheiro escolar. Cada um pode encaminhá-lo a um terapeuta licenciado especializado em ajudar crianças.

Seja positivo. Você pode ter péssimas lembranças de seus anos de escola - muitas pessoas têm. Mas seu filho terá sua própria experiência, e será mais agradável se vocês dois mantiverem a mente aberta e uma atitude positiva. (Se você estiver tendo dificuldades com isso, tente conversar com um amigo ou considere consultar um terapeuta.)

Obtenha apoio na escola

Peça por ajuda. Se seu filho está com dificuldades em sala de aula, leve suas preocupações ao professor e pergunte que tipo de apoio pode ajudar, como um tutor, prática em casa ou leitura extra para explicar um assunto complexo. Certifique-se de que seu filho entende que todo mundo precisa de ajuda às vezes - isso não significa que algo está errado com ele.

Construir relacionamentos. Verifique com a professora sobre oportunidades para seu filho trabalhar com colegas de classe com quem ela se dá bem. Fazer atividades escolares com um amigo permite que cada criança apoie a outra.

Fora da escola, organize encontros para brincar com as crianças da classe - quanto mais ela se diverte com elas, mais provável é que fique entusiasmada com a escola.

Crie suporte em casa

Fornece estrutura, regras e rotinas. A consistência ajuda seu filho a saber o que esperar e o que se espera dele - o que torna mais fácil para ele ter sucesso. Seja o mais consistente possível com as rotinas relacionadas às refeições, hora de dormir e outras atividades diárias. À medida que o dever de casa se torna uma rotina, sente-se com seu filho para elaborar um plano geral de gerenciamento de tarefas. Por exemplo, você pode concordar que o dever de casa deve ser feito antes do tempo da tela. Se ele tem uma palavra a dizer no plano, é mais provável que ele coopere com ele.

Identifique e promova valores. Pense sobre quais valores são importantes para sua família - e não apenas aqueles relacionados ao desempenho acadêmico. Certifique-se de que os valores e expectativas de sua família sejam claros e de que você os reforce com palavras e ações. Por exemplo, se você valoriza a empatia e a bondade, elogie seu filho por atos de carinho e generosidade, tanto quanto por suas realizações acadêmicas.

Arranje tempo para ouvir. Quando seu filho quiser falar sobre a escola, dê-lhe o máximo de tempo e atenção possível. Ser um ouvinte ativo mostra que você respeita seus pensamentos e sentimentos. Isso aumenta a confiança dele e torna mais provável que ele continue falando com você à medida que envelhece.

Se ele não for muito falador, incentive-o a se abrir ouvindo com atenção, espelhando o que ele diz para mostrar que você entende e respondendo com empatia em vez de julgamento. "Parece frustrante ter que esperar tanto pela sua vez", em vez de "Você precisa ser paciente e esperar sua vez".

Empatia modelo. Mostrar a seu filho como ser sensível aos sentimentos dos outros é a base para a realização e o sucesso por toda a vida. Por outro lado, a falta de empatia está ligada a problemas como trapaças e bullying, bem como problemas de saúde mental, como depressão e ansiedade. Mas a pesquisa mostra que as crianças que aprendem a compartilhar e ajudar os outros nas séries iniciais têm mais probabilidade de se formar no ensino médio e de ter um emprego completo mais tarde na vida.

Construa independência. Quando seu filho estiver aprendendo novas habilidades, deixe-o definir o ritmo. Isso nem sempre é possível na escola, mas se você permitir que ele seja mais independente em casa, ele trará mais confiança para a sala de aula.

Deixe ele fazer isso. Claro que você pode amarrar os sapatos mais rápido do que ele, mas dê a ele a chance de tentar primeiro e pedir ajuda se precisar. Não aponte os erros, a menos que ele queira. Por exemplo, se ele estiver lendo em voz alta e perguntar se ele pronunciou uma palavra corretamente, informe-o, mas não interrompa para corrigi-lo.

Aprenda com seu filho. Permitir que seu filho lhe ensine o que ele está aprendendo reforça seu próprio conhecimento. Crianças pequenas costumam adorar esse tipo de encenação, e isso também aumenta a confiança.

Também é uma maneira divertida de descobrir o que seu filho está aprendendo na escola. Faça perguntas para ajudá-lo a desenvolver o que ele já sabe e, ao mesmo tempo, aumentar sua confiança.

Reconheça que brincar é importante. Brincar é o "trabalho" da primeira infância. É a maneira como seu filho aprende a organizar seu pensamento, resolver problemas e praticar novas habilidades. Certifique-se de que ele tenha muito tempo fora da escola não programado para lidar com esses novos desafios por meio do jogo livre.

Limite o tempo de uso. Estudos mostram que crianças que passam muito tempo em frente a telas têm maior probabilidade de obter notas mais baixas. O tempo de tela diminui as atividades essenciais para o desenvolvimento social e emocional saudável, como exercícios, leitura e passar tempo de qualidade com a família e amigos. Pense bem sobre como seu filho usa a mídia eletrônica: escolha programas, jogos e aplicativos de alta qualidade apropriados para crianças, assista com ele sempre que possível e defina limites consistentes para o tempo de tela.

Aprecie a individualidade. Algumas crianças se concentram melhor quando estão quietas e paradas, enquanto outras precisam se movimentar. Alguns gostam de muita ajuda e feedback, enquanto outros preferem trabalhar de forma independente. Preste atenção no que funciona para seu filho e faça o que você puder em casa para apoiar isso, como arrumar uma mesa em um canto tranquilo da casa ou deixá-lo ouvir música enquanto trabalha.

Ultrapassar limites. Quer ele esteja aprendendo a andar de bicicleta ou se preparando para cantar na peça da escola, ensine-o que aprender é sair de sua zona de conforto e tentar coisas novas. Sempre que possível, deixe-o escolher atividades movidas por sua própria curiosidade, criatividade e interesses.

Aprender com os erros. Em vez de corrigir os erros, incentive seu filho a continuar tentando - e anime-o até que acerte. Os erros são uma parte importante do aprendizado, e o processo de tentativa e erro se desenvolve sozinho.

Susan LaCroix é escritora, editora e psicoterapeuta com consultório particular em Berkeley, Califórnia. Ela é especializada em fornecer apoio a indivíduos e casais durante a gravidez, adaptação pós-parto e a transição para a paternidade.

Saber mais:


Assista o vídeo: DTUP O que pais podem fazer para ajudar filhos com TDAH? (Julho 2022).


Comentários:

  1. Tatilar

    Podemos descobrir isso?

  2. Tern

    the excellent thought

  3. Che

    Peço desculpas, mas não chega perto de mim. As variantes ainda podem existir?

  4. Rumford

    super original

  5. Skyler

    Há um site em um tema interessante você.

  6. Makkapitew

    Você está errado. Tenho certeza. Eu sou capaz de provar isso. Escreva para mim no PM, ele fala com você.

  7. Cruz

    Você é engraçado.



Escreve uma mensagem